segunda-feira, novembro 30, 2009

Alexa Lixfeld - Eau de Parfum



O principal projeto de Alexa LixFeld consiste em utilizar o concreto como uma alternativa à cerâmica. Acontece que há tempos elas já ultrapassou esta barreira, utilizando concreto em áreas onde o uso deste material seria, em senso comum, impensável.
Uma de suas últimas criações é o perfume que leva seu nome: Alexa Lixfeld.
Não há que falar do frasco, pois se trata de um frasco quadrado provavelmente standard em que foi colocado somente um silk screen cinza.
O grande salto, na minha opinião, está na tampa: Nada mais nada menos do que um pequeno monolito em forma de tampa. Um pedaço de concreto cortado com as mesmas dimensões do frasco, que se encaixa perfeitamente na pump.
Uma poesia urbana em forma de embalagem. Aliás, existe algo mais urbano e contemporâneo do que concreto e vidro?

Fontes
Alexa LixFeld
The Dieline

terça-feira, novembro 17, 2009

Melissa



Quando soube que o perfume Melissa teve sua embalagem criada pelo designer Wilhelm Liden, logo percebi de onde já havia visto estas linhas. Wilhelm é também o designer responsável pela embalagem do perfume Daisy. Apesar de completamente diferentes, elas bebem da mesma fonte!
Segundo o site da marca,(vide links no final do post), o frasco tem formato de coração, mas disto eu discordo completamente. Aliás, na minha opinião ele passa é longe deste formato. Em vidro, o frasco tem cor violeta em tom bem bonito.. Conta ainda com uma decoração em prata (a marca melissa).
A tampa sim, é um show a parte. Trata-se de uma tampa com formato que não é muito comum de ver em produtos feitos no Brasil, mesmo quando criados por designers internacionais. Tem formato de laço ou ainda daqueles porta-guardanapos chiques!
O que eu concordo completamente é que a embalage com o release é que a tampa "dá o toque final de feminilidade e leveza, refletindo o espírito irreverente da criação".
No Brasil, a empresa contou com a consultoria de Renata Ashcar, autora do livro “Brasilessência: A cultura do perfume” e o “Guia de Perfume”. Leia no site do jornal O Estado de São Paulo, uma matéria sobre Renata Aschar

Abaixo, um video onde Edson Matsuo, diretor de criação da Melissa, fala sobre o perfume:


Fontes:
Lojamelissa.com.br
silvinhapalivanas.blogspot.com
Sandaliamelissa.net
O Estado de São Paulo

sábado, novembro 07, 2009

Andy Warhol Success is a Job in New York - Bond n° 9


Acredito que o sonho de todo artista é ter suas criações ao alcance de todos. Isto significa, de certo modo, extrapolar os meios tradicionais e convencionais de exposição artística. Ironicamente, para um designer, esta é uma realidade corriqueira já que o fim do design industrial é reproduzir em massa, suas criações. Isto posto, unir estes dois mundos seria o sonho de consumo de todo artista.
Na minha opinião, é isto que faz o perfume Bond n° 9, que empresta seus frascos como forma de expressão aos mais diversos artistas como se estes fossem milhares de "telas".
A bola da vez do Bond n° 9 é nada mais nada menos do que Andy Warhol, que tem um dos seus conhecidos quadros reproduzidos nas embalagens do novo perfume da marca, lançado em outubro último.
O mais engraçado disto tudo é o conceito do perfume, claramente inspirado no dinheiro, o que quebra com uma das regras não proferidas e mais explorada do mundo da perfumaria: o romantismo.
E mais, faz isto em favor de um dos aspectos mais pragmáticos de Warhol: o consumismo relacionado a arte. Durante toda a sua carreira, Warhol foi fascinado com as conexões entre arte e dinheiro. Nos anos 60 (do século passado), suas famosas latas de sopas estavam repletas de notas de dinheiro. No começo dos anos 80, quando suas pinturas passaram a ser itens de consumo, ele isolou o cifrão (símbolo de valor e do dólar) em uma série de serigrafias.

O design do frasco do perfume Bond n° 9 tem mesmo a vocação para servir de tela, com seus amplos painéis frontal e traseiro. No caso em questão, ele foi pintado de preto e o cifrão característico de Warhol foi impresso por serigrafia a 4 cores perfeitamente encaixadas (um feito ainda a ser alcançado aqui no Brasil). As cores foram escolhidas da série Dollar Signs, criada por Warhol em 1981.

Uma curiosidade: O nome do perfume "Sucess is a Job in New York" vem do primeiro artigo ilustrado por Warhol nos anos 50 para a revista Glamour.

No site Bond No. 9, é possível encontrar a maioria das versões já criadas pela marca, chamadas de "Scents of the City", inspiradas pela atmosfera da Big Apple.

Aqui, o quadro de Warhol que "emprestou" o elemento artístico para a embalagem:


No vídeo abaixo, uma entrevista com Laurice Rahme, onde ela fala sobre a empresa e sua inspiração:


Ideia: Não ia ser o máximo se aqui no Brasil, alguma empresa de cosméticos decidisse lançar uma linha de perfuma inspirada em nossas cidades?

Aqui, uma cópia da página da revista Glamour com o artigo ilustrado por Warhol:



Fontes:
Bond No. 9
University of Southern California